terça-feira, 14 de maio de 2013

Arara-cubana (Ara tricolor)

ZOOLOGIA - 44
A CLASSE DAS AVES - 12
ORDEM PSITTACIFORMES - 4
FAMÍLIA PSITTACIDAE - 4
GÊNERO ARA - 2


ESPÉCIE: Arara-cubana (Ara tricolor) - Bechstein, 1811 - [EX]

              A Arara-cubana, também conhecido como a Arara-vermelha-cubana (Ara tricolor) é uma espécie extinta de arara que era nativa de Cuba e da Isla de la Juventud, uma ilha ao largo da costa oeste de Cuba. A cerca de 45 a 50 centímetros tempo que era um dos membros mais pequenos da Ara gênero de araras. Foi a última espécie de arara nativas do Caribe ilhas à extinção. Várias peles são preservadas em museus, no entanto, sem ovos sobreviveram.
Um casal foi mantido no real zoológico no Palácio de Schönbrunn, em Viena, Áustria de 1760.

Descrição
              A Arara cubano tem cerca de 45 a 50 centímetros de comprimento.
Tinha uma testa vermelha desaparecendo a laranja e depois para amarelo na nuca do pescoço. Tinha áreas brancas sem penas ao redor dos olhos, um bico que era mais pálidos a marrom-escuro na ponta, e íris amarela.
A face, queixo, peito, abdômen e coxas foram laranja. As pernas eram pardas. A parte superior das costas era vermelha-acastanhada com penas recortadas com o verde. A garupa, e suas penas, e parte inferior das costas eram azuis. As penas das asas eram marrom, vermelho e púrpura azul. A superfície superior da cauda era um desvanecimento vermelho-escuro para azul na ponta, e a superfície por baixo da cauda era vermelha-acastanhada.
As aves adultas masculinas e femininas eram idênticas na aparência externa.

Extinção
              A Arara-cubana era razoavelmente comum por volta de 1800 em Cuba, e, provavelmente, também viveu na Isla de la Juventud (anteriormente chamado de Ilha de Pinos). No início do século 19, a população humana em seu habitat aumentou dramaticamente, levando ao desmatamento. A ave também foi caçada por comida, embora sua carne tem gosto ruim, e seus ninhos foram saqueados ou alterada para adquirir aves jovens para manter como animais de estimação. Até 1849, a espécie parece ter sido capaz de realizar a sua própria, pelo menos em áreas remotas nunca, mas, posteriormente, a população caiu, para se recuperar. Pelo menos 19 espécimes são conhecidas de existir, a última a ser filmada em 1864 em Las Vegas nas proximidades do Pantanal de Zapata, que parece ter sido o último reduto da espécie. Registros não confirmados sugerem que as aves persistiu lá até 1885.
              Em 2005, uma espécie de piolho de mascar, Psittacobrosus bechsteini, foi relatado a partir de uma amostra de museu da Arara cubana. Acredita-se que tenham sido única para esta arara, e é, portanto, um exemplo de coestinção

Fotos: 04.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não faça comentários anônimos ou de caráter ofensivo e desrespeitoso!
Obrigado!