domingo, 2 de junho de 2013

Lesma-do-mar-azul (Glaucus atlanticus)

ZOOLOGIA - 75
CLASSE DOS GASTROPODAS - 2
ORDEM PULMONATA - 2
FAMÍLIA GLAUCIDAE - 1
GÊNERO GLAUCUS - 1


ESPÉCIE: Lesma-do-mar-azul (Glaucus atlanticus) - Forster, 1777 [NE].

              A Lesma-do-mar-azul (Glaucus atlanticus) é uma espécie de lesmas-do-mar-pelágicas, pertencente ao grupo dos moluscos nudibrânquios da Família Glaucidae, sendo a única espécie conhecida do Género Glaucus. A espécie está estreitamente aparentada com Glaucilla marginata, outro membro da família Glaucidae.

Descrição
              Estes nudibrânquios medem normalmente 3 a 4 centímetros de comprimento, mas alguns espécimes podem atingir os 6 centímetros de comprimento. Apresenta uma coloração azul-prateada na face dorsal e azul pálido na face ventral. O pé é raiado por faixas longitudinais azul escuras ou negras.

              O corpo é tronco-cônico, aplainado, com seis apêndices que se ramificam em raios afilados. A rádula tem dentes que se assemelham a minúsculas espadas.

Distribuição e ecologia
              Este nudibrânquio é pelágico, com distribuição cosmopolita ocorrendo nas águas temperadas e tropicais de todos os oceanos. Entre as regiões onde esta lesma-do-mar ocorre incluem-se as costas leste e sul da África do Sul, as águas europeias, a costa leste da Austrália, as costas de Moçambique. A espécie flutua de boca para baixo, mantida nessa posição pela tensão superficial das águas do oceano.

              A Lesma-do-mar-azul (Glaucus atlanticus) depreda organismos pelágicos de maiores dimensões, entre os quais cnidários como a caravela (Physalia physalis), Velella velella e Porpita porpita e moluscos pelágicos como Janthina janthina. Conhecem-se casos em que exibe comportamento canibal, predando exemplares da própria espécie.

              A Lesma-do-mar-azul (Glaucus atlanticus) é capaz de se alimentar de Physalia physalis porque exibe imunidade ao veneno dos nematocistos daquela espécie, consumindo a caravela inteira selecionando e armazenado as toxinas e os nematocistos para seu próprio uso. O veneno é recolhido em sacos especializados localizados nas pontas dos seus apêndices (os "dedos" das suas extremidades). Dado que Glaucus armazena o veneno, pode produzir um efeito ainda mais potente e mortal do que o resultante diretamente da toxina da caravela.

              Com a ajuda de um saco cheio de gás no seu estômago, Glaucus atlanticus flutua perto da superfície. A combinação dos efeitos resultantes da posição do saco e da tensão superficial da água fazem com que se mantenha em posição invertida: a superfície dorsal é na realidade o pé. A sua coloração azulada serve de camuflagem.

              A Lesma-do-mar-azul (Glaucus atlanticus), como a maioria das lesmas-do-mar, é uma espécie hermafrodita apresentando tanto órgãos sexuais masculinos como femininos. Ao contrário dos demais nudibrânquios, o acasalamento não ocorre pela parte direita, mas pela ventral. Após a cópula produz cadeias de ovos.

Fotos: 18.



















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não faça comentários anônimos ou de caráter ofensivo e desrespeitoso!
Obrigado!