sábado, 13 de julho de 2013

Bico-de-Lacre-comum (Estrilda Astrild)

ZOOLOGIA - 124
CLASSE DAS AVES - 54
ORDEM PASSERIFORMES - 6
FAMÍLIA PASSERIDAE - 1
GÊNERO ESTRILDA - 1


ESPÉCIE: Bico-de-Lacre-comum (Estrilda Astrild) - Linnaeus, 1758 [LC].

              O bico-de-lacre-comum (Estrilda astrild), também conhecido como bico-de-lacre-de-santa-helena, é uma pequena ave, pertencente à subfamília Estrildinae. É nativo da África subsaariana, mas com extensão de ocupação estimada de 10.000.000 km².

Introdução em Portugal
              Esta espécie foi introduzida em Portugal, na década de 1970, e existe atualmente em grande quantidade. É uma espécie popular e de fácil adaptação em cativeiro.

Introdução no Brasil
              Foi introduzida no Brasil pelos marinheiros dos navios mercantes portugueses da rota da Índia que atravessavam o Atlântico. Soltas, essas aves proliferaram abundantemente e hoje são encontradas em bandos nos capinzais do Sul, Sudeste e Centro-oeste brasileiros.

Características

Morfofisiologia
              É um pássaro pequeno, cerca de 11 a 13 centímetros de comprimento e 12 a 14 centímetros de envergadura. Tem um peso de 7 a 10 gramas. Apresenta uma cor acastanhada mais escura no dorso e é mais acinzentado na região do peito. Tem o bico vermelho-vivo e uma risca vermelha à volta dos olhos e no peito. Os machos e fêmeas são idênticos, mas os machos têm uma cor mais vermelha no peito, diferenciando-se pela cor preta na base inferior da cauda, que na fêmea é de tom acastanhado.

Comportamento
              O bico-de-lacre convive com pássaros de outras espécies do mesmo porte. Podem ser encontrados em bandos. É uma ave calma e colonial.

Alimentação
              Estes pássaros são granívoros. Sua alimentação é variada, embora deva haver maior abundância de painço. Não apreciam insetos, mas se alimentam de alguns ocasionalmente, especialmente na reprodução quando precisam de mais proteínas.

Reprodução
              O casal constrói o ninho, oval ou esférico, geralmente com capim gordura, mas também com penas e algodões. A postura normal é de 3 a 5 ovos durante o ano, excluindo os meses mais frios. Os ovos são incubados em onze a treze dias, pelo casal. Os filhotes têm desenvolvimento lento, se comparados a outras espécies: permanecem no ninho cerca de vinte e um dias e somente em três semanas se alimentam sozinhos. Os jovens têm uma plumagem incompleta e o bico preto. Algumas semanas depois o bico vai ficando vermelho começando da região das penas perto dos olhos até a a ponta do bico.

Distribuição, conservação e habitat
              O habitat desta espécies de pássaros é variado, podendo ir de paisagens abertas, campos, até áreas urbanas e sua introdução em Portugal obteve sucesso, mais para o norte do que para o sul. Não há registro de extinção da espécie, cuja expansão se dá, também, pelo facto de ser introduzida. Interessante notar, no Brasil, a íntima relação dessa ave com um capim africano, também introduzido, o chamado "capim gordura (Melinis minutiflora)" que serve de alimentação e também para a elaboração dos ninhos.

Fotos: 41.











































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não faça comentários anônimos ou de caráter ofensivo e desrespeitoso!
Obrigado!