quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Abelha-européia (Apis mellifera)

ZOOLOGIA - 153
CLASSE DOS INSETOS - 23
ORDEM HYMENOPTERAS - 2
FAMÍLIA APIDAE - 1
GÊNERO APIS - 1


ESPECIE: Abelha-européia (Apis mellifera) Linnaeus, 1758 [NE].



              A abelha-europeia (Apis mellifera) é uma abelha social, de origem europeia, cujas operárias medem de 12 mm a 13 mm de comprimento e apresentam pelos do tórax mais escuros. 
              Também é chamada de:
  1. Abelha-alemã, 
  2. Abelha-comum, 
  3. Abelha-da-Europa, 
  4. Abelha-de-mel, 
  5. Abelha-doméstica, 
  6. Abelha-do-reino, 
  7. Abelha-escura,
  8. Abelha-européia <<<
  9. Abelha-Europa, 
  10. Abelha-preta,
  11. Oropa.
              A abelha comum ocidental, é originária da Ásia e da Europa e foi introduzida na América por ingleses e espanhóis. Vive em colônias permanentes, formadas por uma rainha (no máximo duas, excepcionalmente), abelhas operárias (entre 10 mil e 15 mil), e entre 500 e 1.500 zangões, ou machos. As fêmeas diferenciam-se dos zangões(machos)pois estas possuem ferrão.

              As abelhas vivem em colmeias, que podem ser artificiais ou naturais. Em seu interior, as operárias usam cera para construir os favos (formados por células em forma de prisma hexagonal), onde armazenam mel e pólen para alimentar tanto as larvas como os insectos adultos.

              A rainha ocupa-se exclusivamente em colocar ovos: cerca de 3 mil por dia. Quando uma colmeia necessita de uma fêmea fecunda, as obreiras constroem um alvéolo maior e nele são depositados todos os ovos fecundados. As larvas desses ovos recebem uma alimentação especial e convertem-se em rainhas. Como em cada comunidade só pode viver uma rainha, gera-se uma "disputa pelo poder" sendo as vencidas expulsas da colmeia.

              Os zangões são os elementos improdutivos da colónia e a sua principal função é fecundar a rainha.

              Normalmente, todos os anos cada colónia libera um ou mais enxames sempre contendo uma rainha que se instala noutro lugar, com abundância de flores, fundando uma nova colónia. É assim que a espécie se propaga.

              Introduzida no Brasil em 1839, para suprir apiários na produção de mel e cera.

Sub-espécies
Europa
África
Ásia
Fotos: 50.





















































Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não faça comentários anônimos ou de caráter ofensivo e desrespeitoso!
Obrigado!