terça-feira, 29 de outubro de 2013

Girafa (Giraffa camelopardalis)

ZOOLOGIA - 186.
CLASSE DOS MAMÍFEROS - 47.
ORDEM ARTIODACTYLAS - 13.
FAMÍLIA GIRAFFIDAES - 1.
GÊNERO GIRAFFA - 1.


ESPÉCIE: Girafa (Giraffa camelopardalis) Linnaeus, 1758 [VU].



               O termo Girafa (do árabe zarAfa (t), pelo italiano Giraffa) é a designação dada a Mamíferos ArtiodátilosRuminantes, do gênero Giraffa, da família dos Girafídeos, no qual consta uma única espécie, a Giraffa camelopardalis, ou camelo-leopardo, como eram chamadas pelos romanos quando elas existiam no norte da África, pois acreditava-se que vinham de uma mistura de uma fêmea camelo, com um macho leopardo. São ungulados com número par de dedos.


               As Girafas são os únicos membros de seu Gênero e, juntas com os ocapis, formam a família Giraffidae. Atualmente estão listadas nove subespécies de Girafa (ver em baixo), diferenciadas pela distribuição geográfica e pelo padrão das manchas. Essas várias subespécies de Girafas agora habitam as terras secas ao sul do Saara. As Girafas se distribuem em dois grupos: Girafa-do-norte que são tricornes, isto é, com um corno nasal interocular e dois frontoparietais, apresentando pelagem predominantemente reticulada; e Girafa-do-sul, sem corno nasal e a pelagem tem predominantemente malhas irregulares.

Características
              Os machos chegam a 6 metros de altura e com suas línguas preênseis que alcançam até 50 centímetros são capazes de pegar as folhas de acácias, por entre pontiagudos espinhos nos altos dos galhos, que são sua principal fonte de alimentação. Elas são capazes de comer as folhas das árvores até 6 metros de altura. Para poderem pastar, têm de afastar uma da outra as pernas dianteiras. Devido ao baixo teor nutritivo das folhas, as girafas precisam comer grandes quantidades e passam quase 20 horas por dia comendo. O comprimento do corpo pode ultrapassar os 2,25 metros e ainda possui uma cauda com 80 centímetros de comprimento, não contando com o pincel final. O seu peso pode ultrapassar os 500 quilogramas. Apesar do seu tamanho, a girafa pode atingir a velocidade de 47 km/h, suficiente para fugir de seus predadores.

              As Girafas, como todos os Mamíferos, possuem sete vértebras cervicais. Os seus pescoços, entretanto, são os maiores dos animais atuais, pelo que é pouco flexível. Por causa de seu pescoço comprido e rígido, seu sistema vascular possui a fama de ser o responsável pela maior pressão sanguínea do reino animal. O coração tem dois orifícios: um que bombeia sangue para o pulmão e membros e outro que alimenta o cérebro com o líquido vermelho. Este último é fino, visto que os músculos são maiores, assim a força necessária para o bombeamento não é tão grande como se imagina. No entanto, quando a Girafa tem de beber água, a pressão sanguínea da cabeça aumenta muito e só não a mata devido a duas particularidades excepcionais. Próximo ao cérebro, existe uma rede de vasos capilares que se ramificam em inúmeras veias menores dentro do crânio do animal. Eles servem para amortecer e distribuir essa sobrecarga de sangue jorrada pelo coração quando a girafa está com o pescoço abaixado. Além disso, uma veia grossa repleta de válvulas que retorna ao coração recebe parte do sangue bombeado. Quando o sangue pressiona demasiadamente os vasos da cabeça da Girafa, ele é desviado para essa veia. Repleta de válvulas que se fecham com a passada do sangue, a veia alivia a pressão da cabeça e não deixa que o animal morra cada vez que deseja matar a sede.

              Ambos os sexos possuem dois a quatro cornos curtos e recobertos por pele. O pelo da Girafa é fulvo (amarelo-tostado, alourado) ou rosado, com grandes manchas de cor amarronzada (exceto no ventre, onde o pelo é branco). As manchas pardas possuem um padrão único para cada indivíduo e o auxilia a se mimetizar por entre as sombras das árvores onde habita. Essas manchas também concentram, debaixo da pele, vasos sanguíneos e são responsáveis pela manutenção da temperatura corporal adequada das Girafas. Elas possuem pernas longas, sendo as dianteiras mais altas que as traseiras, e número reduzido de costelas. O tempo de vida de uma Girafa é de aproximadamente 15 a 20 anos. O couro das pernas é mais rijo e comprime mais os membros da Girafa do que no restante do corpo. Isso permite que o sangue não se espalhe pelo tecido e músculos das patas, fazendo-o retornar ao coração. Caso isso não acontecesse, as pernas da girafa acumulariam muito sangue por serem longas demais e acabariam matando o animal.

Predação
              Leões, hienas e leopardos são predadores dos filhotes de Girafas, mas os adultos possuem porte e velocidade suficientes para limitar o número de predadores. As Girafas quase não emitem sons

Reprodução
              A gestação dura 420 a 450 dias, nascendo só uma cria de cada vez com uma altura que oscila entre 1,5 e 1,7 metros. Seus chifres nascem soltos no crânio para que não machuquem a mãe durante sua saída do útero. Os chifres se fundem com o osso durante a infânciaadolescência. Os filhotes de Girafas caem de uma altura de quase 2 metros quando a mãe está de pé durante o nascimento, o que é freqüente. A vegetação da savana africana, entretanto, amortece a queda.

              É um animal gregário constituindo rebanhos ou bandos pouco numerosos, andando rapidamente, a passo travado e associando-se aos antílopesavestruzes nas savanas africanas ao sul do Saara.

              As Girafas dormem aproximadamente duas horas por dia e um pouco de cada vez. Elas dormem em pé e, apenas em ocasiões muito especiais, quando se sente completamente segura, se deita no chão para descansar. A Girafa só se deita se estiver segura pois, caso um predador se aproxime, ela demora muito tempo para se levantar devido a seu tamanho. A Girafa é bem grande, devido a um osso de seu pescoço e de suas pernas, que são bem alongadas.

Sub-espécies
  • Girafa-reticulada ou girafa-da-somália (Giraffa camelopardalis reticulata) - manchas cor-de-fígado, reticuladas e separadas por linhas brancas muito nítidas; NE Quénia, EtiópiaSomália.
  • Girafa-angolana (Giraffa camelopardalis angolensis) -Angola, Zâmbia.
  • Girafa (Giraffa camelopardalis antiquorum) - Sudão.
  • Girafa-do-kilimanjaro ou Girafa-masai (Giraffa camelopardalis tippelskirchi) - manchas irregulares, em forma de folha de videira, cor-de-chocolate; Quénia, Tanzânia.
  • Girafa-núbia (Giraffa camelopardalis camelopardalis) - manchas grandes, quadrangulares, cor-de-avelã, ausentes nas patas; E Sudão, NE Congo.
  • Girafa-de-rothschild (Giraffa camelopardalis rothschildi) - manchas rectangulares castanho-escuras, de contornos mal definidos; Uganda, Quénia
  • Girafa (Girafa-sul-africana).
  • Girafa (Giraffa camelopardalis giraffa) - África do Sul, Namíbia, BotswanaZimbabwe, Moçambique.
  • Girafa-da-rodésia (Giraffa camelopardalis thornicrofti) - E Zâmbia.
  • Girafa-do-Chade (Giraffa camelopardalis peralta) - Chade.
              O Gênero Giraffa tem ancestralmente uma outra espécie, Giraffa jumae, conhecida apenas do registo fóssil.

Predadores
              Em alguns países da África, em seu primeiro ano de vida, sobretudo nos primeiros cinco meses, entre 50% e 70% dos filhotes de Girafas são presas de predadores como Leões, Hienas, Leopardos, Cachorros-selvagens ou Crocodilos.

Nicho ecológico
              Alimentam-se de folhagem decídua, durante a época das chuvas (entre os meses de novembro e maio, quando o alimento é mais abundante) ou de espécies de folha perene, na estação da seca. Pequenos rebentos ou brotos e arbustos de acácias e mimosas também são apreciados. As Girafas são adaptadas para explorar uma banda de vegetação localizada acima de 3 metros de altura, fora do alcance de todos os outros herbívoros. À exceção dos Elefantes, as Girafas exploram um nicho ecológico muito restrito e deste modo não têm competidores pelos escassos recursos da savana. Tem só um filhote por vez, que já nasce com 2 metros de altura.

Fotos: 40.









































sábado, 26 de outubro de 2013

Guaxinim (Procyon lotor)

ZOOLOGIA - 185.
CLASSE DOS MAMÍFEROS - 46.
ORDEM CARNÍVORA - 19.
FAMÍLIA PROCYONIDAE - 2.
GÊNERO PROCYON - 1.


ESPÉCIE: Guaxinim (Procyon lotor) - Linnaeus, 1758 [LC].



              O Guaxinim (Procyon lotor), também chamado mapache e rato-lavadeiro em Portugal, é um mamífero da família dos procionídeos bastante parecido com o Procyon cancrivorus, porém com as patas esbranquiçadas. 


              Tais animais são encontrados nas Américas do Norte, Central e do Sul e são conhecidos também pelo nome de racum. No Brasil guaxinim e jaguacinim referem-se a vários Procionídeos, especialmente Procyon cancrivorus. Existem também na Europa Central e no Cáucaso, onde estabeleceram-se após as fugas dos quintais de criação de peles.

              É conhecido pelo público em geral possivelmente devido a vários filmes de animações, como PocahontasOver the Hedge, Dr. Dolittle 2Happy Tree Friends, entre outros.
Habitat
              O habitat preferido do guaxinim são florestas próximas à água e pântanos. Durante o dia, ele dorme em árvores ocas, buracos em pedras ou no chão. É muito adaptável e hoje é encontrado também em áreas urbanas.

Características
              O Guaxinim, também chamado de mapache ou urso-lavador possui cabeça grande e focinho pontiagudo. Ele tem pelo longo e uma cauda espessa, com anéis castanhos e pretos. No dorso e dos lados, sua cor é marrom-acinzentado e o abdômen é cinza claro. As manchas pretas em suas “bochechas”, que se estendem entre os olhos e através da testa em uma listra vertical, também são típicas.

              Estes podem até se reconhecer durante a noite por meio dessa “máscara” facial. Eles podem medir entre 45 e 70 centímetros.

Alimentação
              Estes animais noturnos caçam pássaros, ratos, insetos, peixes pequenos, lesmas, cobras, camarões de água doce e rãs. Sua dieta também inclui ovosnozes, cereais e frutas. São omnívoros.

Estilo de vida
              O Guaxinim dorme o dia todo e sai à noite para procurar comida. Ele persegue sua presa em águas rasas ou no chão, arranhando, virando e examinando de perto assim que a vítima é capturada. No entanto, ele só a consome se o cheiro for aprovado por seu apurado faro.

              Em áreas frias, os Guaxinins passam o inverno em tocas e buracos nas árvores. Apesar de dormirem profundamente, eles não hibernam, saindo de seu esconderijo assim que o tempo esquenta um pouco.

Comportamento social e reprodução
              Os machos acasalam com muitas fêmeas, enquanto as fêmeas aceitam apenas um pretendente. Os machos, que quase sempre são pacíficos, costumam brigar entre si com muita ferocidade durante a época do acasalamento. Na primavera, a fêmea normalmente tem de três a cinco filhotes depois de nove semanas de gestação e cuida sozinha da ninhada. A família continua unida por um ano aproximadamente, quando os jovens Guaxinins deixam então a companhia da mãe.

Situação
              A pele do Guaxinim continua a ser muito procurada e, por isso, o animal é caçado em grande escala, especialmente no sul dos Estados Unidos.

Fotos: 50.